A Voz dos Invisíveis na Sociedade e na Academia foi tema do X Simpósio Brasileiro de Educação em Solos

O Núcleo Nordeste da SBCS promoveu, entre os dias 2 e 5 de março, o X Simpósio Brasileiro de Educação em Solos (SBES). O evento foi organizado pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em parceria com o Instituto Federal Baiano (IF Baiano) e a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) O simpósio teve como tema central “A Voz dos Invisíveis na Sociedade e na Academia” e seu objetivo foi chamar a atenção da população para necessidade da preservação do solo, que “está no centro da vida no planeta”, como ressalta a professora Carmem Sueze Silva Miranda, presidente da comissão organizadora do evento. “Todos os outros compartimentos ambientais (ar, água, biota) dependem do solo e ele é invisível na sociedade”, disse ela.

A programação foi composta por oficinas, minicursos, palestras, mesas redondas e apresentação de trabalhos.  Segundo os organizadores, o evento, totalmente online, contou com 254 participantes, o maior público entre todas as edições anteriores. Entre os participantes estavam alunos de graduação e pós-graduação e professores de ensino médio e superior. Mais de 70% do público avaliou o evento como excelente. O evento dedicou uma atenção especial à educação básica e às comunidades menos assistidas. Dos 69 trabalhos apresentados, 46 foram sobre estratégias e materiais didáticos aplicados em instituições de ensino fundamental e comunidades carentes, incluindo experiências de formação e capacitação de professores.

A partir das apresentações, discussões e trocas de experiências ocorridas durante o X Simpósio Brasileiro de Educação em Solos, realizaram-se, em síntese, as seguintes sugestões:

– Expandir o debate, para um formato mais contínuo, a fim de despertar no(a) professor(a), que se encontra na sala de aula para abordar um dado conteúdo, a sensibilidade de enxergar também a visão e os desafios que permeiam a vida formativa do(a) discente. É para elas e eles que existimos como profissionais da Educação em Solos;

– Conquistar mais sócios, em especial estudantes de graduação e professores da educação básica. Pensar em atrativos para esse público; – Incentivar a produção de pesquisas e elaboração de artigos científicos para serem submetidos à RBCS;

– Criar grupo de trabalho para estruturar grupos de estudo, incluindo aquele a conduzir o mapeamento dos 6000 profissionais que atuam em Educação em Solos, conforme pesquisa na plataforma Lattes;

– Criar grupo de pesquisa que integre os diversos interessados em trabalhar a construção de, no mínimo, um mestrado em Educação em Solos em rede interinstitucional;

– Estimular e fortalecer ações educativas relativas ao solo, tais como projetos de extensão em escolas de educação básica, comunidades rurais e quilombolas; – Produzir diferentes materiais de divulgação, tais como cartilhas, jogos, músicas, teatro, dentre outros. Além disso, esses materiais devem abordar conceitos básicos a serem trabalhados nos diferentes níveis de ensino; e – Estabelecer parcerias com diferentes entidades para fortalecimento da educação em solos.

O X SBES foi realizado pela primeira vez em 1994 e, em suas ações, promove coletivamente a consciência de co-responsabilidade das comunidades pela vida no planeta Terra.

Como o evento foi online, a programação completa estará disponível para acesso gratuito na página do SBES no YouTube.