Em direção a uma Ciência do Solo mais aberta

“A ciência vem sendo cada vez mais demandada e, ao mesmo tempo, criticada e escrutinada pela sociedade e pelos governos, que buscam soluções para os problemas atuais, ou, às vezes, justificativas para suas ações. Ao adotarmos uma política de ciência aberta, com disponibilização aberta dos dados primários e dos resultados de nossas pesquisas, demonstramos que não temos nada a esconder, e que os dados estão livres para serem usados por quem quiser. Obviamente, isso envolve certos riscos, pois os dados podem também ser usados livremente por grupos de interesse com agendas próprias.”

Este é um trecho de artigo publicado no site da Fapesp e reproduzido no blog da Scielo sobre um tema muitíssimo relevante para a ciência do solo no Brasil. Com autorização dos autores, reproduzimos aqui o link para leitura da íntegra do texto.