José Miguel Reichert é o novo editor da Revista Brasileira de Ciência do Solo

O conselho diretor aprovou e a assembleia-geral da SBCS referendou o nome do professor José Miguel Reichert como o novo editor da Revista Brasileira de Ciência do Solo (RBCS). Ele substitui o professor Roberto Ferreira de Novais, que ficou à frente do cargo por mais de 18 anos. Na primeira semana de setembro, ele esteve na sede da SBCS, em Viçosa, para reuniões com a editora-assistente, Ecila Villani, com o secretário-geral, Reinaldo Cantarutti, e com as secretárias da RBCS Denise Cardoso e Denise Machado. O trabalho como editor-chefe será feito via internet

José Miguel Reichert é gaúcho, tem 53 anos e é professor titular da Universidade Federal de Santa Maria, desde 1996. Quando foi convidado pela Comissão Editorial da RBCS para assumir o cargo, ele estava fazendo pós-doutoramento em modelagem de processos hidrossedimentológicos na Universidade do Texas (EUA).

José Miguel retornou ao Brasil poucos dias antes de assumir o cargo, durante o Congresso de Natal. Em entrevista à reportagem do Boletim, ele contou que se sente honrado pela confiança que a SBCS deposita nele para substituir uma geração de editores que elevou a Revista a um patamar de reconhecimento internacional. “Levei dois meses para dar a resposta, porque substituir o professor Novais é um grande desafio”, justifica. Nesse período, o novo editor conversou com pessoas ligadas a revistas de grande impacto, como a Geoderma e a Soil Science Society American Journal, e com autores e editores da RBCS para avaliar o que poderia ser feito para dar continuidade ao trabalho de dar visibilidade e prestígio internacional à RBCS.

No período de transição, o trabalho administrativo da RBCS foi assumido pelo secretário-geral da SBCS, Reinaldo Cantarutti, que fez a migração de um sistema de tramitação próprio para a plataforma Scholar One, utilizada por diversos periódicos científicos e que confere mais agilidade aos processos de tramitação. “No último ano, nós conseguimos reduzir o tempo da primeira fase de tramitação dos artigos de sete meses para 55 dias. Esse é o tempo entre a submissão e a aceitação do trabalho. Com isso, estamos dentro da média das melhores revistas do mundo, mas ainda queremos melhorar o processo”, diz o professor Cantarutti. O número de artigos publicados em inglês também vem aumentando a cada ano, com a melhoria da visibilidade da Revista.

De acordo com o novo editor, o desafio agora é reduzir o tempo entre o aceite e a publicação dos artigos: “temos que contar com um corpo de editores eficiente e comprometido para melhorar nosso sistema de fluxos nos processos de tramitação dos artigos. Mas tenho certeza de que poderemos contar com a comunidade da Ciência do Solo.Melhorar ainda mais o prestígio da RBCS é bom para nós, pesquisadores, e para a Ciência do Solo no Brasil”.

José Miguel em Viçosa

José Miguel, à esquerda, durante a reunião com a equipe da RBCS