SBCS lança livro que mapeia as iniciativas de educação em solos no Brasil

O livro é fruto das ações da Divisão IV (Solo, Ambiente e Sociedade) da SBCS e reúne 78 atividades que foram cadastradas pelos respectivos coordenadores, no “Banco de Dados Nacional de Iniciativas de Educação em Solos” (https://bit.ly/33PBibl). Tais iniciativas foram organizadas por regiões do país.

A obra chega em um momento oportuno para a socialização das iniciativas de Educação em Solos no Brasil, concebidas e desenvolvidas por diferentes educadores ao longo dos últimos 20 anos, contextualizadas em diferentes territórios, culturas e áreas do conhecimento.

De acordo com os organizadores do livro-Marcelo Ricardo de Lima, Fabiane Machado Vezzani, Valentim da Silva e Cristine Carole Muggler-“a educação em solos é um processo formativo e humanizador dos sujeitos envolvidos, em que o conhecimento sobre solos é construído a partir de suas vivências”. Ainda para eles, “este conhecimento passa a fazer sentido e parte da vida dos sujeitos de uma forma cada vez mais integrada às suas ações cotidianas. É a transformação da realidade e dos sujeitos na relação com o solo”, disseram eles.

Com esta publicação, os organizadores esperam que o contato entre os agentes dos processos possa ser potencializado, gerando interações entre os projetos e fortalecendo o conjunto de educadores em solos, além de estimular a aproximação de outros.  O Banco de Dados formado para a produção do livro possibilita a realização de análises diversas e, sobretudo, a constatação da complexidade da educação em solos, para além da descrição e caracterização de conteúdos e ações Este Banco continua aberto para inclusão de novas ações que poderão ser adicionadas nas próximas edições do livro.

O livro é destinado a todos os envolvidos e interessados na educação em solos, com especial ênfase às instituições como secretarias estaduais e municipais de educação, de agricultura e de meio ambiente, entidades públicas ou privadas ligadas à educação ambiental,  organizações e associações de agricultores e produtores rurais, grupos que atuam na agricultura urbana, entre outros que tenham interesse ou envolvimento com o tema.

No prefácio da publicação, a presidente da SBCS,  Lúcia Helena Anjos, afirma que “a obra é uma iniciativa de grande importância para a SBCS como registro e  reconhecimento de tantos que dedicam seu tempo, para além das horas normais de trabalho, à educação em solos no Brasil”. Ela destaca ainda que “cada um desses projetos, assim como outros que não foram inseridos no catálogo, contribuiu para o marco de participação brasileira na iniciativa da FAO de celebração do Dia Mundial do Solo, em 2019.  De um total de 507 eventos, em 100 países, o Brasil contribuiu com 79, o maior número em um só país”.