Reinaldo Cantarutti rebece prêmio de pesquisador sênior do IPNI

O professor Reinaldo Bertola Cantarutti, do Departamento de Solos e Nutrição de Plantas da UFV foi premiado na categoria “Pesquisador Sênior 2018” pelo International Plant Nutrition Institute (IPNI). A premiação é concedida todos os anos, para homenagear os profissionais que realizam trabalhos de excelência nas áreas de nutrição de plantas, fertilidade do solo e fertilizantes. A premiação foi entregue ao professor Cantarutti pelo diretor do INPI no Brasil, Luis Prochnow, durante palestra dele no Simpósio de comemorações dos 90 do Departamento de Solos, dia 26 de outubro.

O IPNI é uma organização sem fins lucrativos dedicada a desenvolver e promover informações científicas sobre o manejo responsável dos nutrientes das plantas para o benefício da família humana.

Reinaldo Bertola Cantarutti fez graduação (1977), mestrado (1980) e doutorado (1996) na Universidade Federal de Viçosa. Foi pesquisador do Centro de Pesquisas do Cacau / CEPLAC (1980 – 1996) atuando na área de nutrição de plantas forrageiras de adubação de pastagens. Coordenou o Programa de Pesquisa em Bovinocultura do CEPEC, membro brasileiro no Comitê da Red Internacional de Evalución de Pasturas Tropicales – RIEPT/Centro Internacional de Agricultura Tropical, entre 1986 e 1991). É professor na área de fertilidade do solo no Departamento de Solos / Universidade Federal de Viçosa desde 1996.  Desenvolve pesquisa na dinâmica do nitrogênio no continuo solo-planta, desenvolvimento e avaliação de fertilizantes nitrogenados, avaliação da fertilidade do solo e recomendação de adubação e nutrição de plantas forrageiras e adubação de pastagens.

É membro da Secretaria Executiva da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, como tesoureiro, entre 2001 e 2011 e como Secretário Geral desde 2011.

É editor executivo da Revista Brasileira de Ciência do Solo e co-editor do Boletim Informativo da SBCS.

Segundo o diretor do INPI, a escolha do nome do professor Cantarutti deve-se à dedicação dele à SBCS e às diversas contribuições dele à ciência do solo no Brasil.

Professor Cantarutti, à esquerda, recebe prêmio do diretor do IPNI, Luís Prochnow