Djalma Martinhão recebe prêmio IPNI de pesquisador sênior

 O pesquisador da Embrapa Cerrados Djalma Martinhão Gomes de Sousa foi premiado no International Plant Nutrition Institute (IPNI), este ano, na categoria “Pesquisador Sênior”. A premiação é concedida todos os anos, durante a FertBio ou congressos brasileiros de Ciência do Solo (CBCS), para homenagear os profissionais que realizam trabalhos de excelência nas áreas de nutrição de plantas, fertilidade do solo e fertilizantes. Esse reconhecimento, nas categorias “Sênior” e “Jovem Pesquisador, tem o respaldo do Conselho Diretor da SBCS, que é responsável pela avaliação dos indicados e escolha dos agraciados. O prêmio foi entregue pelo diretor do INPI no Brasil, Luis Prochow, durante o CBCS, dia 2 de agosto, em Belém (PA).

Djalma Martinhão é químico pela Universidade de Brasília (1974), com mestrado em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1980). Ele atua na Embrapa Cerrados há 42 anos nas áreas de fertilidade do solo e adubação, pastagens e plantio direto. O homenageado disse que o prêmio representa o reconhecimento da sua dedicação em colaborar com o desenvolvimento da agricultura brasileira. “Vivenciei e, juntamente com todos os meus colegas da Embrapa, participei das imensas transformações que viabilizaram o agronegócio no Cerrado. Esse reconhecimento da SBCS e do IPNI é muito agradável para mim”, disse Djalma. O pesquisador, que tem 67 anos, já poderia ter se aposentado, mas ainda atua em pesquisas e na orientação de jovens pesquisadores de diversas instituições de ensino no Brasil.

Na categoria “Jovem Pesquisador”, o agraciado foi o estudante de Agronomia da Universidade Federal de São João del Rei Guilherme Moura Ferreira Júlio, com o trabalho intitulado Genótipos, doses e fontes de nitrogênio na severidade do enfezamento do milho.  A escolha do agraciado nessa categoria é feita pela comissão que avalia os trabalhos científicos apresentados durante o CBCS. Em seu trabalho, Guilherme Júlio conclui que o uso de genótipos de milho mais resistentes ao enfezamento é uma importante estratégia de manejo cultural. Ele foi orientado pela pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo de Sete Lagoas Flávia Cristina dos Santos e tem como coautores Dagma Dionísia da Silva, Manoel Ricardo de Albuquerque Filho, Luciano Viana Cota e Rodrigo Véras da Costa.

IPNI 2Djalma Martinhão (à esquerda) e Guilherme Ferreira (à direita) receberam o prêmio do Diretor do IPNI Brasil, Luís Prochonow

Djalma Martinhão à esquerda e o diretor do IPNI Brasil, Luís Prochonow

Djalma Martinhão à esquerda e o diretor do IPNI Brasil, Luís Prochonow

 

Voltar