Notícias



Boletim da SBCS destaca desafios para manejo de solos arenosos

Os sócios da SBCS já estão reecebdo em casa a nova edição do Boletim Informativo da SBCS(janeiro/abril).
O Boletim destaca as principais notícias dos primeiros meses do ano, os detalhes da organização do 21WCSS e as expectativas dos Núcleos Regionais e Estaduais da SBCS para o biênio 2018/2019.
Na seção Em foco, professores e pesquisadores de diferentes instituições do país, apresentam de forma direta e agradável, uma visão dos desafios que temos para manejar adequadamente os solos arenosos, bem como algumas alternativas de soluções no contexto atual do conhecimento científico sobre os temas abordados.
Os sócios da SBCS já estão recebendo  a edição impressa nos endereços indicados.
A edição também pode ser lida aqui no site da SBCS

Lúcia Anjos é a nova representante do Brasil no ITPS da FAO

A professora do Departamento de Solos da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e diretora da Divisão 1 da SBCS (Solo do Tempo e no Espaço), Lucia Helena Cunha dos Anjos, foi nomeada representante do Brasil no Intergovernmental Technical Panel on Soils (ITPS) da FAO/ONU). A indicação do nome da professora Lúcia Anjos foi consenso entre a SBCS, Embrapa, Instituto Agronômico de Campinas (IAC) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

O Painel Técnico Intergovernamental sobre Solos (ITPS) foi criado na primeira Assembleia Plenária da Global Soil Partnership (GSP), realizada na sede da FAO, em Roma, em 2013 e é composto por 27 especialistas em solo, representando todas as regiões do mundo. A principal função do ITPS é fornecer aconselhamento científico e técnico e orientação sobre questões globais do solo para a Parceria Global do Solo (GSP), principalmente, para solicitações específicas apresentadas por instituições globais ou regionais. O ITPS defende a gestão sustentável do solo nas diferentes agendas de desenvolvimento sustentável. Os novos membros foram efetivados na Sexta Assembleia Plenária do Global Soil Partnership (GSP), que aconteceu entre os dias 11 e 13 de junho, na sede da FAO, em Roma, e terão mandato ate 2021.

Para a professora Lúcia, a participação do Brasil no ITPS/GSP é uma oportunidade de compartilhar pesquisas e tecnologias geradas nas várias instituições brasileiras, com pioneirismo em solos e ambientes tropicais, bem como as políticas implementadas pelo MAPA. “A permanência do Brasil, entre os representantes da Aca Latina e Caribe indicados para esse mandato permitirá prosseguir e aprofundar ações iniciadas no mandato anterior pela pesquisadora Maria de Lourdes Mendonca Santos (Embrapa Solos)”, disse Lúcia Anjos.

Simpósio Brasileiro de Educação em Solos é realizado no Paraná

A 9ª edição do Simpósio Brasileiro de Educação em Solos (IX SBES) foi realizada entre dias 15 e 19 de maio, no campus da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em Dois Vizinhos, Paraná. O evento congrega e aproxima estudantes, professores e pesquisadores que trabalham com educação em solos no Brasil e teve como tema “o diálogo entre a extensão e a educação básica no meio rural”.

O Simpósio Brasileiro de Educação em Solos é promovido pela Divisão 4 da SBCS (Solo Ambiente e Sociedade) e esta edição contou com o apoio do Núcleo Estadual Paraná, da SBCS. O evento foi presidido pela professora Elisandra Pocojeski, com apoio de demais professores do UTFPR. O IX SBES registrou a participação de cerca de 300 pessoas de todo o Brasil, 29 palestrantes e apresentação de trabalhos em pôsteres e sessões orais

O IX SBES foi aberto com uma palestra da professora Cristine Carole Muggler (UFV), uma das pioneiras na construção desse campo acadêmico no país. Durante o evento, ela foi homenageada pelos organizadores com seu nome batizando o Laboratório de Pedologia da instituição.

O segundo dia foi iniciado com as conferencias de Oromar José Bertol da Emater/PR e Marcelo Ricardo de Lima, do Projeto Solo na Escola da UFPR, um dos primeiros espaços de educação em solos do país. A tarde foi dedicada a mesas redondas acerca dos desafios e possibilidades da educação e extensão em solos no campo, com a participação de agricultores, extensionistas, estudantes e professores universitários.

No terceiro dia foram realizadas oficinas oferecidas por diversos espaços de educação em solos do Brasil. Os produtos destas oficinas foram apresentados e partilhados com estudantes da educação básica da região na mesma tarde.

No quarto dia reuniram-se os grupos de trabalho para discussão dos desafios e elaboração de proposições para encaminhamentos do encontro. Foi produzida a “Carta de Dois Vizinhos’, que será amplamente divulgada para chamar a atenção das questões em relação a sensibilização e conhecimento acerca da importância dos solos para a vida e o meio ambiente.

Partilha dos resultados das oficinas realizadas durante o evento com estudantes da educação básica da região de Dois Vizinhos.

Palestra de Marcelo Ricardo de Lima, do Projeto Solo na Escola da UFPR, um dos primeiros espaços de educação em solos do Brasil.

Oficinas oferecidas por diversos espaços de educação em solos do Brasil.

Homenagem a professora Cristine Mugler. À esquerda a presidente do evento, professora Elisandra Pocojeski (UTFPR)

V Reunião Centro-Oeste de Ciência do Solo e II Simpósio de Nutrição de Plantas reúnem 800 pessoas em Goiânia

O Núcleo Centro-Oeste da SBCS promoveu, entre os dias 01 a 04 de maio, a V Reunião Centro-Oeste de Ciência do Solo (RCOCS)e o II Simpósio sobre Nutrição de Plantas no Cerrado (II SNPC). O evento integrado foi organizado pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Embrapa, e Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Durante a abertura, o professor Edward Madureira Brasil, reitor da UFG, destacou a importância do evento para o crescimento da agricultura no Cerrado, destacando ainda a consolidação da reunião como um dos eventos regionais mais importantes para a região.

Na programação foram apresentadas diversas palestras onde foram debatidos diversos “gargalos” existentes relacionados ao manejo do solo e a nutrição das principais culturas do Cerrado, dando ênfase ao manejo sustentável dos solos na região. O evento contou com 800 participantes, entre os quais técnicos, consultores e pesquisadores, oriundos não só do Centro-Oeste, mas também de regiões como Oeste da Bahia, Tocantins, Pará, Rondônia, Oeste Paulista e Triangulo Mineiro.

Entre os destaques do evento, a pesquisadora da Universidad Politécnica de Madrid, Victoria Fernández, apresentou uma palestra sobre adubação foliar, onde foram apresentadas novas tecnologias e os mais recentes resultados de pesquisa nesse campo realizados na Europa. Outros temas de destaque que foram abordados nas palestras foram a eficiência de uso de nutrientes, adubação de sistemas agrícolas, qualidade do solo, integração lavoura-pecuária, recuperação de pastagens, adubação mineral e orgânica, novas técnicas de avaliação do estado nutricional das culturas e demais boas práticas relacionadas ao manejo do solo para as principais culturas do Cerrado”, conforme explicaram Robélio Marchão e Rilner Flores, presidentes da V RCOCS e II SNPC, respectivamente.

Os 251 trabalhos técnico-científicos que foram apresentados no evento na forma de resumos que contemplaram os mais diversos conteúdos relacionados à ciência do solo, tais como, fertilidade e nutrição mineral de plantas; biologia, física, mineralogia e química do solo; gênese, morfologia e classificação do solo; manejo e conservação do solo e da água; corretivos e fertilizantes; planejamento do uso da terra e recuperação de áreas degradadas.

Durante a reunião, também foi realizada uma assembleia geral do núcleo, onde foi aprovado estatuto do NRCO, bem como os encaminhamentos para a regularização do núcleo junto ao cadastro nacional de pessoa jurídica, etapas que, segundo o atual diretor do NRCO, Robélio Marchão, serão fundamentais para a independência administrativa e financeira do núcleo, o que facilitará o trabalho das futuras diretorias.

Outro momento de destaque do evento foi o encerramento, quando os participantes tiveram oportunidade de conhecer os trabalhos de pesquisa sobre sistemas agrícolas durante a tarde de campo realizada na Embrapa Arroz e Feijão no dia 04, onde foram apresentados, em quatro estações, resultados de pesquisas da Embrapa sobre os temas abordados naspalestras do evento.

Próximos eventos: Durante a V RCOCS também foram realizadas as primeiras reuniões de articulação sobre os próximos eventos que apoiados pelo NRCO, com destaque para a o XXXVII Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, que será organizado pela UFMT na cidade de Cuiabá, entre os dias 21 a 26 de julho de 2019, bem como a VI RCOCS, que será realizada em 2020 pelo Instituto Federal de Mato Grosso na cidade de Sorriso-MT.

Também foram dados os encaminhamentos para articulação com a participação do NRCO na próxima Reunião Brasileira de Classificação e Correlação de Solos (RCC) e o III Simpósio Brasileiro de Solos Arenosos (SBSA), que estão previstos para ocorrer na região Centro-Oeste nos próximos anos.

Abertura do evento

XII Reunião Sul Brasileira de Ciência do Solo

O Núcleo Regional Sul da SBCS promoveu, entre os dias 15 e 17 de abril, em Xanxerê, SC, a XII Reunião Sul Brasileira de Ciência do Solo. O evento teve como tema “Solo, Água, Ar e Biodiversidade: componentes essenciais para a vida” e foi organizado pela Unoesc com apoio da Epagri, Unochapecó e UFFS Campus Chapecó.

Segundo o diretor do Núcleo Regional Sul, Maurício Vicente Alves, o evento contou com a participação de 350 pessoas e apresentação de 215 resumos expandidos. Ao todo foram oito palestras e uma mesa redonda com a participação dos Secretários de Agricultura dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná debatendo as políticas públicas para a conservação do solo na região. “Acreditamos que o evento foi um momento de integração para discussão desta temática pelos profissionais, buscando fomentar a ciência, a tecnologia e a inovação”, disse Mauricio Vicente Alves, da Unoesc Xanxerê. A presidente Fatima Maria Moreira também participou do evento, representando a SBCS.

A programação da XII Reunião Sul Brasileira de Ciência do Solo contou ainda com a organização da III Competição Sul Brasileira de Identificação de Solos em parceria com a UFFS, campi Chapecó. A competição tem como objetivo estímular a identificação e conhecimento dos solos dos estados do Sul do Brasil por equipes de estudantes de graduação/pós-graduação coordenados por professores.

SBCS participa de evento em Brasília sobre conservação do solo

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou no dia 15 de abril, o seminário “Conservação de solo: Sustentabilidade na produção de alimentos e na segurança hídrica”. O evento comemorou o Dia Nacional da Conservação de Solo e reuniu especialistas da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Embrapa e empresários do setor. A SBCS foi representada no evento pela sua presidente Fatima Maria Moreira

O coordenador da implementação do Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC), Elvison Nunes Ramos, destacou a importância do Plano “como uma política pública que visa realmente ajudar o produtor rural nesse processo de conservação do solo e que disponibiliza uma linha de crédito para ajudá-lo nessa mudança de um sistema menos conservador para um mais conservador”.

A atuação de empresas, estratégias para inovações tecnológicas na agricultura, planos para a conservação do solo e os desafios para a produção sustentável foram debatidos no seminário. Segundo o chefe da Divisão de Agricultura Conservacionista do Mapa, Maurício Carvalho de Oliveira, a conservação do solo é essencial para o Brasil, não só por sua importância para a agricultura no presente e no futuro, como também por seu papel na segurança alimentar nacional e mundial. Temos que estabelecer uma política capaz de assegurar o desenvolvimento do setor agrícola e o equilíbrio ambiental, atendendo às necessidades das populações atuais, sem comprometer as gerações futuras”.

Ainda para Maurício Oliveira, é crucial que o país continue ampliando o uso de tecnologias como o plantio direto, a integração lavoura-pecuária-floresta e a recuperação de pastagens degradadas, todas previstas no Plano ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono) para reforçar a conservação do solo, da água e dos recursos naturais.

A presidente da SBCS, Fatima Maria Moreira, elogiou a organização do evento que permitiu a interação com representantes da cadeia produtiva do agronegócio. Em sua participação, ela ressaltou a integração do conhecimento de física, química e biologia nos projetos de conservação do solo. “ Fiquei surpresa com o conhecimento que o setor produtivo tem dos avanços na área de biologia do solo e isso é muito positivo para o país”, disse a presidente.

Fonte: Mapa

 

Tatu será mascote do Congresso Mundial de Ciência do Solo

A Comissão Organizadora do 21º Congresso Mundial de Ciência do Solo (WCSS)  promoveu uma enquete para que os participantes escolhessem um mascote para representar o evento. Quem já estava inscrito como participante até o final do mês de março pôde escolher entre um tatu e um papagaio para representar o Brasil e a ciência do solo.

A figura de um simpático Tatu com jeito de pesquisador e  pedólogo venceu com 79% dos votos e irá ficar na memória do primeiro Congresso Mundial de Ciência do Solo realizado na América do Sul. A escolha contou com a participação de 1116 votantes.

Veja, abaixo, o material gráfico preparado para a votação e conheça o mascote do 21 WCSS.

 

Tatu: a biodiversidade do solo é a força motriz dos processos químicos e físicos do solo que sustentam a vida no planeta. Como exemplo, Hans Jenny cita os organismos como um dos fatores de formação dos solos. Entre estes, destacamos o Tatu como um agente de transformação, responsável pela abertura de tocas no solo da onde obtém abrigo, proteção e alimento. Nossa mascote, vestido com o tradicional colete da SBCS e com os instrumentos de trabalho de campo e de laboratório, representa o cientista de solo brasileiro, responsável pela maior transformação da agricultura tropical do planeta. O Tatu também representa a biodiversidade do solo brasileiro que precisa ser conhecida e preservada. É o Pedólogo natural dos solos do Cerrado brasileiro e representante digno do nosso trabalho e das nossas conquistas.

Amazon Soil é realizado no Maranhão

O Núcleo Regional Amazônia Oriental da SBCS promoveu, entre os dias 25 e 29 de março, a terceira edição do Amazon Soil, na cidade de Chapadinha-MA. O evento foi realizado pelo Centro de Ciências Agrárias e Ambientais da Universidade Federal do Maranhão (CCAA/UFMA) com o tema “O solo e o seu papel na sustentabilidade dos agroecossistemas”. O Amazon Soil foi presidido pelo diretor do Núcleo Regional Amazônia oriental e coordenador do curso de Agronomia de Chapadinha

O evento contou com a participação de 270 inscritos e foram realizadas 14 palestras com pesquisadores de diversos estados do Brasil, além de quatro mini-cursos e uma visita técnica a uma fazenda com a presença maciça de agricultores de toda a região meio norte. A diretoria executiva da SBCS foi representada, no evento, pelo Secretário Geral Reinaldo Cantaruti.

Segundo Gregori Ferrão, além de possibilitar a discussão sobre as potencialidades dos solos maranhenses e a perspectiva de maximização da produtividade, nesta terceira edição o evento deixou de ter um caráter meramente científico para identificar-se com iniciativas de extensão.  “Tivemos aporte de diversas empresas, principalmente aquelas de insumos agrícolas da região Meio Norte. Aqui em Chapadinha, existe uma produção de quase 100 mil hectares e com uma possível expansão de outros cem mil e essa possível expansão já tem uma inserção no mercado dessa soja que vai ser produzida, desse milho ou de outras culturas que vierem depois dessas, como por exemplo, da lavoura pecuária-floresta”, explicou Ferrão.

Saiba mais sobre o evento no site: amazonsoil2018.com